IMG_2520.jpg

Salão de Arte

A PRESENÇA AFRO NA DIVERSIDADE ARTÍSTICA BRASILEIRA

 

O projeto Salão de Arte Afro-Brasileiro do RS foi idealizado e promovido, pela primeira vez em 2005, pela produtora cultural Patrícia Brito em parceria com a Associação Satélite Prontidão, entidade associativa e beneficente, fundada em Porto Alegre, no RS em 1902, por algumas famílias da comunidade negra com o propósito de abrigar a cultura negra e seus costumes.

De forma inédita, a proposta do Salão é realizar um mapeamento no segmento das artes visuais da influência e cultura afro na produção artística do Rio Grande do Sul e, propor um encontro com a diversidade étnica à luz da contemporaneidade. 

A mostra se consolidou no Estado, trazendo opiniões acerca do resgate da cultura negra e de uma dívida histórica, mas acima de tudo, serviu de base em consonância com a Lei 10.639/03. 

Por toda contribuição negra no país, é inegável sua presença constante na cultura, história e tradições africanas nos diversos tipos de manifestações artística no Brasil. As cores, os ritmos, os sons e a religiosidade negra por sua expressividade e proximidade cotidiana, acabam por influenciar de maneira muito significativa, não só o modo de vida dos brasileiros, mas servindo sempre de fonte de inspiração e criação para artistas em diversas áreas.   

A estética de influência negra celebra e identifica a profundidade de sua presença na cultura brasileira. A arte negra é resgatada no Rio Grande do Sul, acompanhada de um apanhado da memória cultural de nosso Estado na pesquisa histórica. Conectamos então, educação e cultura, tendo a arte como mediação.

De fato, essa miscigenação criativa que se intensifica no país a quase 500 anos, e que muitas vezes atua de forma inconsciente, mistura-se com manifestações culturais diversas sem o devido mapeamento.

"Entendo que o resgate da imagem da etnia negra brasileira através das diversas manifestações artísticas e culturais, valoriza tanto a etnia negra quanto todas as outras na construção e valorização de uma identidade diversificada."

Sua segunda edição foi realizada em 2006 no Memorial do RS e a terceira edição realizada em novembro de 2011 na Usina do Gasômetro, em Porto Alegre-RS.

Artista Homenageado
Wilson Tibério

TELA12.JPG

Wilson TibérioPintor e escultor. Porto Alegre, RS, 1923-2005.

Começou a pintar aos 8 anos. Mais tarde, tornou-se aluno do artista italiano Cursi que o ensinou a manejar técnicas pictóricas. Neste meio tempo começou a esculpir. Em 1943 deixou o Brasil, como bolsista da Escola de Belas-Artes do Rio de Janeiro, após ter participado de três edições de salões de pintura. Falando diversos idiomas, inicialmente foi a Paris, depois viajou pela Itália e outros países da Europa e África. Com o passar do tempo, transformou-se num artista conceituado, participando de inúmeras exposições, inclusive em coletiva ao lado de Picasso, na Galerie Henry Tronchet, Paris, 1951. Em 1973, a crítica italiana Mara de Mercurio escreveu que “na tradição da grande pintura sul-americana de pós-guerra, Wilson Tibério, artista afro-brasileiro, apesar de estar há muitos anos na Europa, coloca-se numa dimensão muito precisa: é um artista de vanguarda, um pintor completo e um homem de seu tempo. As cores densas e pastosas impregnam e aumentam o sentido de todas as coisas.” Em Paris, onde reside, realizou diversas exposições individuais como as realizadas na Galeria Cecile B., em 1998 e 1999. Não consta nenhum registro de suas obras em museus ou instituições no Brasil e, em seu estado natal, é quase um desconhecido, sendo mais um desses casos de desanteção das pessoas que lidam com a questão  da memória no país. 

Fonte: Dicionário de Artes Plásticas no Rio Grande do Sul / Renato Rosa e Décio Presser – Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2000.

Artistas

Adelina Lintzmaier Petiz

Adreson Vilson Vita de Sá

Alba Vilasboas

Alceu Ruino da Silva

André Venzom

Antônio Jorge Sobral

Ariane do Canto Cerveira

Beatriz Mignone Viana Rosa

Carla Giovana Felippetto Laidens

Carlos Alberto de Oliveira

Carlos Batista da Silva

Carmem Regina Correa

Cássio Guimarães Pereira

Chesne Braitbach de Melo

Clary Accorsi Sartori

Clóvis Moacir Pereira Ortiz

Daniel Mateus Leivas Ferreira

Diana Orlandini Cavalcante

Dilma Cunha Pozzetti

Diloá Severo

Elaine Maria Pace Bonetti

Elaine Terezinha Klafke Macalós

Ely Nogueira Perez

Eny Guilhermina Herbst

Estelita de Aguiar Branco

Fabian Molas Rodrigues

Fábio de Souza Ferreira

Fábio Rodrigo de Oliveira Prado

Georgina Soares Krenn

Gleci Terezinha Plentz Rillo

Grace Leveridge Patterson

Ida Gleci Camargo Nunes

Jacira C. Nascimento Fagundes

Jeanete Ecker Kohler

Jéssica de Mello Dondoni

José Darci Barros Gonçalves

Juliana Cupini

Jussara Leite Kronbauer

Jussara T. G. Pires

Kátia Schames

Leandro Machado dos Santos

Lourdes Cristina Weber de Abreu

Luciana Trommer Krieger

Luis Eduardo Nunes

Luiza Alexandra Lewczvk Gerhardt

Magda Giovana Ellvanger

Márcia Elisa Casal

Maria Cristina S. Ferreira

Maria da Glória Jesus de Oliveira

Maria Darmeli Araújo

Maria Leonor Garcia de León

Mariana Pereira Konrad

Marli Cabral Nachtigall

Marly da Graça Córdova Scola

Meris Maria Slomp

Miriam de Nardi Trois

Moacyr Vargas Júnior

Nancy Dornelles

Nasel Mazullo

Neiva Mattioli Leite

Ondina Bomfim da Silva

Patrícia Friedrich Lima

Paulo Luis Silva Corrêa

Pelópidas Thebano

Potiguara Pereira

Ramon Alejandro Ruiz Velazco

Regina Helena Miranda Campos

Rejane Maria Petersen Wagner

Rita Márcia Gil Araújo 

Roberta Agostini

Rosamelia Langlois Ruivo

Rosane Santos Guerin

Ruth Fernandes Wigner

Shirley Garcia do Nascimento

Sônia Maria Antônia Braun 

Thiago Mussatto Esser

Valquíria Saucedo

Vera Ione Vasconcellos Timm

Zélia Lopes

Wilde Maurício de Arruda Júnior

  • Ícone do Instagram Branco
  • Ícone do Facebook Branco
  • RSS
  • Spotify
  • Soundcloud
  • Ícone do Twitter Branco
  • Ícone do Youtube Branco

INSTITUTO BLACK BRAZIL ART

Escritório de Arte, Curadoria, Exposição

blackbrazilarte@gmail.com

​​

© 2030 Todos os direitos reservados. by BLACKBRAZILART